Artesanato em cerâmica

Cerâmica

A cerâmica açoriana evoca-nos tenacidade, inventiva, apurado gosto, sentido estético e, também, um arreigado amor à terra mãe – qualidades evidentes em todos os objectos produzidos nestas terras onde a metéria prima disponível não possui características que justifiquem a existência desta arte. Não obstante, utilizando o barro estraído da ilha de Santa Maria, o importado do Continente e as misturas com o Terceirense, permitindo aos oleiros, sem abastardamentos despersonalizantes ou descaracterizadores, produzir puras e belíssimas peças, utilitárias e decorativas, que enriquecem o património da cerâmica portuguesa.

Cerâmica Figurativa

Esta é, talvez, a expressão mais popular e mais significativa da cerâmica que se pode produzir nas ilhas.

Objectos para brinquedo são, principalmente, as personagens dos presépios e lapinhas, de tão profunda tradição no Arquipélago. Pintados ou vidrados, reproduzindo figuras de culto, bíblicas ou do quotidiano local, todas se espelham uma ingénua e pura autenticidade, onde afloraa maneira de ser destas gentes. Deste figurado popular, que tem a particularidade de retratar várias épocas e situações diversas, deriva directamente o que, com carácter mais evoluído, se tem vindo a afirmar, reproduzindo costumes açorianos, ou evidenciando toda a capacidade criadora dos ceramistas-escultores.

Azulejaria

A azulejaria no Arquipélago é de aparecimento recente mas, nem por isso, de monor interesse, tanto mais que evidencia a aproximação ao Brasil, gerada pela emigração.

Utilizando a estampagem manual ou molde, as primirivas de S.Miguel criaram azulejos relebados, onde a flor de lis era motico de eleição, tal como o azul e amarelo eram as cores preferidas para os azulejos de estampilha.

Herdeira desta tradição, a actual azulejaria artesanal açoriana é um produto de qualidade, resultante do grau de apuramento de técnicas e aptidões, que transparecem nos azulejos de marcado bom gosto e equilíbrio, saídos das mãos hábeis dos artesãos ilhéus.

Olaria

A escassez da matéria prima impôs, em tempos idos, que a olaria açoriana se limitasse a satisfazer as necessidades locais produzindo essencialmente, objectos utilitários, telha, tijolo e tijoleira. Sem grandes preocupações estéticas foram, lentamente depurando formas na procura de uma identidade própria, como o testemunham as formas e decorações próprias de cada ilha.

Potes, alguidares, talhas e talhões, sertãs e louças diversas de cozinha, atingem elevados níveis estéticos que se refuncionalizam em belas peças decorativas.

A criatividade e sensibilidade destes artesãos encontra consagração nas formas da chamada louça erudita e, principalmente, na pintura (manual, estampilhada ou mista) da louça regional onde, sobre fundo branco, adejam leves ramos em pinceladas de azul.

Back to top button
backspace
caps lock enter
shift shift
Virtual keyboard by Loderi.com   « » { } ~
Translate »
Close
Skip to content