Pandemia não travou a tradição do “8 aos ilhéus”

Tradicionalmente é um dos pontos altos das tradicionais festas Sanjoaninas na ilha Terceira, nos Açores, e, ao longo dos últimos 24 anos, as seis milhas náuticas que separam a baía de Angra do Heroísmo do Ilhéu dos Fradinhos foram sempre percorridas com forte espírito competitivo. Este ano, apesar de a pandemia da covid-19 ter impedido que se realizem regatas oficiais nos Açores, a tradição do “8 aos ilhéus” manteve-se e o trajecto idealizado por Manuel Ponte em 1995 voltou a ser percorrido.

No ano em que celebra as bodas de prata, o Angra Iate Clube tinha a seu cargo a responsabilidade de organizar o Campeonato de Portugal de Cruzeiros ORC, competição que estava agendada para este mês de Julho e que acabou adiada para 2021 devido à covid-19, mas o clube náutico presidido por Augusto Silva optou por não deixar cair a Angra Bay Cup – “8 aos ilhéus”.

Pela 25.ª vez, a frota de veleiros de cruzeiro, desta vez acompanhada em ritmo de passeio por kayaks, motos de água, windsurfers​ e embarcações 420, partiram da cidade classificada como Património Mundial pela UNESCO, dando bombordo a terra e estibordo ao ilhéu das Cabras, fazendo depois um “oito aos ilhéus”, num percurso de 12 milhas náuticas.
O final do percurso foi assinalado pelas embarcações com uma homenagem na baia de Angra do Heroísmo às vítimas da covid-19.

Artigo original aqui.

Back to top button
backspace
caps lock enter
shift shift
Virtual keyboard by Loderi.com   « » { } ~
Translate »
Close
Skip to content