Projetos cofinanciados: CITY 2020

CITY 2020

Sítio web da Comissão Europeia relativo ao CITY 2020

O Projeto CITY 2020 é uma iniciativa aprovada pelo Programa de Cooperação Interreg MAC 2014-2020, financiada pelo FEDER, que tem como parceiros as Cidades declaradas Património da Humanidade localizadas no Atlântico, nomeadamente Angra do Heroísmo, La Laguna (Canárias), Saint Louis (Senegal), Isle de Gorée (Senegal) e Ribeira Grande de Santiago (Cabo Verde). Este projeto de cooperação territorial pretende evidenciar e enriquecer a competitividade empresarial e comercial em rede, em particular no setor turístico, através de iniciativas inclusivas, inteligentes e sustentáveis.

Com a assinatura do Protocolo de Cooperação entre estas cinco cidades, inicia-se um período de contínuo intercâmbio e trabalho conjunto para a prossecução dos objetivos previstos neste Projeto – promoção de produtos e serviços turísticos sustentáveis, inovadores e de qualidade, promoção do comércio local nas Cidades Património da Humanidade, o apoio a PME’s do setor turístico e a empresas hoteleiras mediante ações formativas ou o apoio a empreendedores para um desenvolvimento mais competitivo do setor turístico em termos de eficiência e aumento da qualidade dos produtos e serviços locais, por exemplo.

O objetivo final consiste em alcançar maior desenvolvimento empresarial, reativação económica das Cidades Património da Humanidade participantes neste Projeto, o aumento da competitividade no âmbito territorial e a consolidação da zona comercial aberta.

O Projeto CITY 2020 parte da premissa de que o desenvolvimento económico sustentável e a competitividade empresarial das cidades Património da Humanidade deve realizar-se mediante um trabalho conjunto realizado a nível local, com o objetivo de alcançar um ponto de equilíbrio entre a conservação, tradição e progresso.

A declaração que Angra do Heroísmo, La Laguna, Cidade Velha, Saint Louis e Isle de Gorée receberam enquanto Património da Humanidade pela UNESCO constitui um reconhecimento internacional que nos incentiva a procurar garantir a proteção e conservação do nosso Património.

Como tal, este Projeto aborda assuntos que englobam os objetivos e desafios municipais do século XXI e os problemas caraterísticos das Cidades Património da Humanidade.

O Projeto CITY 2020 tem uma duração de três anos, e conta com um orçamento global de 1.233.500,00€, dos quais 85% são disponibilizados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Este é um dos 56 projetos aprovados na primeira convocatória do Programa Interreg MAC 2014-2020.

ECO-TUR

Objetivos do projeto ECO-TUR

Objetivo temático do Eixo – Conservar e proteger o meio ambiente e promover a eficiência dos recursos.

Objetivo específico da Prioridade de Investimento – Aumentar a atratividade do património natural e cultural das áreas de interesse turístico.

Objetivos específicos: 

1. Criação da Rede Transnacional de Municípios ECO-TUR de forma a estabelecer uma estratégia e metologia conjunta para a promoção do Ecoturismo e Turismo ativo.

2. Implementação territorial dos Planos de Ação desenvolvidos pela Rede Transnacional de Municípios ECO-TUR para a promoção do Ecoturismo e Turismo ativo.

3. Diversificação da oferta turística dos Municípios da Rede Transnacional ECO-TUR através da criação de novos produtos e serviços para a promoção do Ecoturismo e Turismo ativo.

Ações gerais:

O projeto prevê a criação de novos produtos e serviços que promovam o Ecoturismo e o Turismo ativo, para valorização do património natural e etnográfico dos Municípios que formam a Rede ECO-TUR.

O projeto desenvolver-se-á em três fases:

Fase 1: Criação de uma Rede Transnacional de Municípios para o desenvolvimento de uma estratégia e planos de ação locais para a proteção, conservação e valorização do património natural e etnográfico de cada Município.

Fase 2: Realização de ações de recuperação da paisagem, reabilitação e conservação do património para posterior delimitação, sinalização e elaboração de itinerários e rotas turísticas.

Fase 3: Criação de um produto turístico inovador que consolide e integre os serviços locais associados às rotas turísticas disponibilizadas mediante uso do Passaporte ECO-TUR. Lançar-se-á o novo produto de acordo com o calendário de atividades delineadas para usufruto das rotas disponibilizadas.

Ações:

Ação 1:

1. Criação da Rede Transnacional de Municípios ECO-TUR e desenvolvimento de uma estratégia comum para a promoção do Ecoturismo e do Turismo Ativo.

2. Criação dos Comités de Ação Local e desenvolvimento de Planos de Ação para o desenvolvimento do Ecoturismo e do Turismo Ativo em cada um dos Municípios da Rede ECO-TUR.

3. Definição dos Projetos Técnicos de implementação territorial dos Planos de Ação Local de promoção do Ecoturismo e Turismo ativo da Rede ECO-TUR.

Ação 2:

1. Recuperação da paisagem, reabilitação e conservação do património natural e etnográfico da Rede de Municípios ECO-TUR.

2. Delimitação, sinalização e disponibilização dos itinerários e rotas turísticas para a valorização do património natural e etnográfico dos Municípios da Rede ECO-TUR.

3. Desenvolvimento de um Plano de Gestão das Rotas Turísticas disponíveis nos Municípios da Rede ECO-TUR.

Ação 3:

1. Consolidar e integrar os serviços locais associados aos itinerários e rotas disponíveis para criar um produto turístico innovador através da utilização do ECO-Passaporte.

2. Diversificação da oferta turística para a valorização, uso e usufruto do novo produto ecoturístico criado nos Municípios da Rede ECO-TUR.

3. Lançamento do produto ecoturístico criado mediante desenvolvimento de uma campanha de difusão e promoção através da utilização das TIC.

Resultados esperados

Este projeto vai de encontro à crescente procura do Ecoturismo e do Turismo ativo, valorizando os recursos naturais e paisagísticos envolventes – dada a sua importância na construção da paisagem insular e património etnográfico asociado –, assegurando a sua manutenção e desenvolvimento sustentável através da promoção de uma gestão adequada dos recursos associados a atividades turísticas.

Impacto previsto

A implementação da rede acontecerá nos seguintes termos:

1. Valorização e conservação dos bens naturais e culturais.

2. Diversificação do produto turístico tradicional.

3. Projeção conjunta da Região de cooperação.

4. Aumento do número de visitantes nas zonas de intervenção.

5. Aumento do número de estadias em alojamentos de povoações com baixa e média densidade populacional.

6. Especialização dos destinos no âmbito do Ecoturismo e do Turismo ativo.

7. Aumento do investimento privado no setor do Ecoturismo.

Sustentabilidade dos resultados

Uma vez concluído o projeto, as atividades que utilizem as rotas, produtos e serviços turísticos disponibilizados para o Turismo ativo – tais como trekking, running, etc. – terão gerado impulso suficiente para permanecer ativas.

No que concerne aos novos produtos: mapas de rotas, visitas guiadas pela natureza, entre outros, e a inclusão dos mesmos nas ofertas turísticas existentes serão o suporte de uma nova rede de empresas que prestem estes serviços, já que o ECO-TUR atua como uma infraestrutura que é capaz de estruturar todo um novo pacote de atividades vinculadas ao setor do Ecoturismo ou Turismo ativo.

Finalmente, as intervenções e soluções encontradas pela rede de cooperação servirão como modelo para outros nichos turísticos que tenham o potencial para implementar este tipo de rotas no futuro.

Back to top button
Translate »
Close